Pular para o conteúdo

Guia Alimentar do Brasil: O Melhor Do Mundo!

(ENG) Em um post anterior nós mostramos como ficaria a famosa pirâmide alimentar se seguirmos as novas diretrizes alimentares do Brasil. Essas diretrizes foram atualizadas em 2014 pelo Ministério da Saúde do Brasil e intitulado: Guia Alimentar Para A População Brasileira.” E, de acordo com algumas fontes americanas, o Brasil parece agora ter as melhores orientações nutricionais do mundo!

Porque será?!


COMO OS EUA FAZ: Você pode se perguntar como isso poderia ser possível considerando a quantidade de dinheiro, tempo e energia dedicada à pesquisa em alimentação/dietas no EUA. A resposta é realmente muito simples. As pessoas encarregadas em definir essas diretrizes no EUA tendem a se concentrar em nutrientes específicos como proteínas, carboidratos, gorduras, minerais e vitaminas. Sendo assim, os alimentos não são considerados em termos de como as pessoas realmente comem ou pensam em comer.

COMO BRASIL FAZ: “O Brasil, por outro lado, faz exatamente o contrário. Suas diretrizes nacionais não se concentram em nutrientes, calorias, ou perda de peso. Eles não “enfiam” os alimentos em pirâmides ou modelos parecendo pratos infantis. Ao invés disso, eles (1) focam em refeições (2) encorajam os cidadãos a simplesmente cozinhar alimentos integrais em casa, (3) e a ficar atento as práticas de marketing sedutoras do Big Food [grandes corporações produtoras de alimentos].”  (LINK)

1, 2, 3 … Simples assim!  Segue aqui um resumo das suas recomendações contidas no Guia Alimentar Para A População Brasileira (2014), pág 50-52:

  • A Regra De Ouro – Prefira sempre alimentos in natura ou minimamente processados e preparações culinárias a alimentos ultraprocessados. Opte por água, leite e frutas no lugar de refrigerantes, bebidas lácteas e biscoitos recheados; não troque a “comida feita na hora” (caldos, sopas, saladas, molhos, arroz e feijão, macarronada, refogados de legumes e verduras, farofas, tortas) por produtos que dispensam preparação culinária (“sopas de pacote”, “macarrão instantâneo”, pratos congelados prontos para aquecer, sanduíches, frios e embutidos, maioneses e molhos industrializados, misturas prontas para tortas) e fique com sobremesas caseiras, dispensando as industrializadas.

Unprocessed vs Processed vs Ultraprocessed 1 - POR

  • Recomendação 1 – Faça de alimentos in natura ou minimamente processados a base de sua alimentação. Alimentos in natura ou minimamente processados, em grande variedade e predominantemente de origem vegetal, são a base de uma alimentação nutricionalmente equilibrada, saborosa, culturalmente apropriada e promotora de um sistema alimentar socialmente e ambientalmente sustentável.
  • Recomendação 2Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias. Desde que utilizados com moderação em preparações culinárias com base em alimentos in natura ou minimamente processados, óleos, gorduras, sal e açúcar contribuem para diversificar e tornar mais saborosa a alimentação sem torná-la nutricionalmente desbalanceada.
  • Recomendação 3 – Limite o uso de alimentos processados, consumindo-os, em pequenas quantidades, como ingredientes de preparações culinárias ou como parte de refeições baseadas em alimentos in natura ou minimamente processados. Os ingredientes e métodos usados na fabricação de alimentos processados – como conservas de legumes, compotas de frutas, queijos e pães – alteram de modo desfavorável a composição nutricional dos alimentos dos quais derivam.
  • Recomendação 4 – Evite alimentos ultraprocessados. Devido a seus ingredientes, alimentos ultraprocessados – como biscoitos recheados, “salgadinhos de pacote”, refrigerantes e “macarrão instantâneo” – são nutricionalmente desbalanceados. Por conta de sua formulação e apresentação, tendem a ser consumidos em excesso e a substituir alimentos in natura ou minimamente processados. Suas formas de produção, distribuição, comercialização e consumo afetam de modo desfavorável a cultura, a vida social e o meio ambiente.

.

Veja as páginas 125-128 para uma lista de “10 Passos Para Uma Alimentação Saudável”:

  1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação.
  2. Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias.
  3. Limitar o consumo de alimentos processados.
  4. Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados.
  5. Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia.
  6. Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados.
  7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias.
  8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece.
  9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora.
  10. Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais.
Sem Comentários Ainda

Deixe uma resposta